Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Nosso sistema imunológico mata um câncer por dia



 Nosso sistema imunológico mata um câncer por dia





As células do nosso sistema imunológico sofrem alterações "espontâneas" em uma base diária - virtualmente o tempo todo.
Teoricamente essas "mutações" poderiam levar ao câncer - mas quase nunca não levam.
Se a conexão entre mutações e câncer fosse direta, a raça humana já estaria extinta há muito tempo.
E por que nós não sucumbimos a essas alterações espontâneas?
A resposta está no mesmo sistema imunológico, que elimina células B potencialmente cancerígenas ainda em seus estágios iniciais, antes que elas se desenvolvam em linfomas de células B (também conhecidos como linfomas não-Hodgkin).
Os resultados surpreendentes foram publicados na revista Nature Medicine por cientistas da Universidade de Melbourne (Austrália).
Esta vigilância imunológica é responsável por aquilo que os pesquisadores chamam de "raridade surpreendente" dos linfomas de células B na população, dada a frequência com que ocorrem as mutações "espontâneas".
"Todos e cada um de nós tem mutações espontâneas em nossas células B do sistema imunológico que ocorrem como resultado de suas funções normais," disse o Dr. Axel Kallies. "Assim, é um tanto paradoxal que o linfoma de células B não seja mais comum na população."
"Nossa descoberta de que a vigilância imunológica feita pelas células T permite a detecção precoce e a eliminação dessas células cancerosas e pré-cancerosas fornece uma resposta a este enigma, e prova que a vigilância imunológica é essencial para evitar o desenvolvimento desse tipo de câncer de sangue," concluiu ele.
A descoberta poderá levar ao desenvolvimento de um exame preventivo que identifique pacientes com alto risco de desenvolvimento de linfomas de células B, permitindo o tratamento proativo, ajudando seu sistema imunológico a recuperar seu poder de vigilância e ação.
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »