Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Projeto criado em Nova Olinda contará com mostra no Canadá

Iniciativas culturais destinam-se para crianças de família de baixa renda. (Foto: João Paulo)
A Fundação Casa Grande, em Nova Olinda, estará realizando em Toronto, no Canadá, Rio de Janeiro e Crato, exposição relacionada ao projeto desenvolvido para a literatura infantil, com a obra "Icasa do Meu Coração", e resgate da história do ciclo do algodão, contada por meio da trajetória do Icasa Esporte Clube e seus ícones. O projeto foi idealizado pelo diretor da fundação, Alemberg Quindins. Em Crato, a exposição será aberta no dia 29 de janeiro.

Em julho deste ano estará no Canadá e depois no sudeste do Brasil, no período da Copa do Mundo, explorando a temática do futebol, ao mesmo tempo em que irá divulgar um pouco da história do Cariri, dentro desse contexto do ciclo do algodão no Nordeste.

O livro infantil foi lançado no mês de setembro, no Sesc de Juazeiro do Norte, e contou com a presença da diretoria do Icasa e personalidades que fizeram a história do time. Esse foi o primeiro livro infantil lançado na região com enfoque para a temática, com caráter didático e de resgate da história regional, além de ter distribuição em várias escolas e trazer à tona a tradição dos times de futebol. A meta é também criar o Museu do Icasa, que conte a história do ciclo do algodão no Nordeste e no Cariri.

Pesquisa
"Icasa do Meu Coração" foi o primeiro livro infantil lançado na região com caráter didático e com distribuição em várias escolas públicas. (Foto: Elizângela Santos)
Alemberg é torcedor do Icasa e teve como base para o seu trabalho uma extensa pesquisa, além da memória de infância. Mas o livro vai além dessa visão de um admirador do seu time. Traz textos e ilustrações suas e reproduz cenas reais de jogos que ele acompanhou, através dos desenhos. São 14 gravuras em artnaif, que também fazem parte da exposição. A pesquisa sobre o Icasa vinha sendo realizada desde 2009, mas a trajetória do trabalho com os desenhos de revistinhas em quadrinhos vem desde os nove anos, com cenas dos times de várzea da infância do autor. O projeto para a publicação do livro contou com o apoio cultural do Geopark, Associação de Amigos do Icasa e patrocínio do Governo do Estado e Cagece.

Junto com o material está sendo encartado um pôster com os campeões do time, disponibilizado, para venda na lojinha da fundação. E vários outros temas regionais poderão ser trabalhados no intuito de promover o resgate e a preservação da memória, como há mais de duas décadas a entidade vem se propondo. Além de realizar trabalho na área de comunicação, do audiovisual e da cultura, com crianças e adolescentes como protagonistas de um processo de preservação do patrimônio, envolve principalmente os aspectos histórico e arqueológico da região do Cariri. A exposição em Toronto, acontece de 2 a 4 de julho, durante a Feira Internacional do Livro de Países Africanos, Latino-Americanos e Caribenhos. No Rio, o mesmo evento acontece no Museu Internacional Arte e Raiz, durante evento coletivo. O tema futebol será o enfoque principal, já que estará no mês de realização da Copa do Mundo, em que o Brasil será sede.

A fundação é Casa do Patrimônio na região e abriga um acervo importante relacionado aos antepassados da região. Faz referências aos primeiros povoadores da área da Chapada do Araripe, o homem cariri. Um projeto em andamento agora refere-se ao ciclo do couro, com a instalação do Museu do Couro.

Parceria

Trata-se de uma parceria da Casa Grande com o artesão Espedito Seleiro, que ficou famoso no mundo da moda com o seu rico trabalho de confecção de peças exclusivas de calçados, bolsas, cintos, entre outros artigos, mas conservando a tradição do velho gibão de couro e das selas. Alemberg destaca a importância de manter viva a memória. A Casa Grande é um espaço onde circulam alunos de toda a região, seguindo pelo trajeto do Museu de Paleontologia de Santana do Cariri, cidade vizinha, onde podem ser vistos fósseis de mais de 110 milhões anos. Por ano, passam pelos dois equipamentos cerca de 70 mil pessoas, conforme o diretor da Casa Grande. O próximo roteiro, está sendo feito por iniciativa particular. No livro Icasa do Meu Coração, parte dos valores arrecadados com a venda, além de ser direcionada ao projeto de criação do Museu do Icasa, já em execução, contando com design inicial da arquiteta Liz Cordeiro, também será voltado para a escolinha da agremiação, com mais de 350 crianças e adolescentes, em sua maioria de bairros periféricos de Juazeiro do Norte. Quando o assunto é falar dos aspectos que envolvem conquistas positivas relacionadas ao futebol, ele destaca o resgate histórico, os valores educacionais, o viés econômico social e turístico.

A Casa Grande também tem uma parceria com um dos mais importantes times do mundo, o Barcelona. A parceria leva em conta aspectos importantes na formação das crianças e jovens, dentro de um projeto estruturado, no esporte voltado para a vida. Alemberg cita experiências exitosas, como o Museu do Barcelona, hoje um dos mais visitados da região da Catalunha, na Espanha. Ele destaca o papel dos museus como laboratórios voltados para o aprendizado da história, e importantes extensões das salas de aula. O projeto dentro desse contexto é mais amplo no Cariri, porque insere o circuito que vai desde o Museu de Paleontologia, com a história dos animais pré-históricos, em Santana do Cariri, passando pela história do homem, com o Museu do Homem Kariri, em Nova Olinda; o ciclo do couro, com o Museu do Couro, de Espedito Seleiro, chegando ao Juazeiro do Norte, no passeio pelo ciclo do algodão, com o Museu do Icasa. (E.S)

Mais informações:

Fundação Casa Grande
Avenida Jeremias Pereira, 444
Nova Olinda
Telefone: (88) 3546.1333
Escritório - Crato: (88) 3521.8133

Fonte: Diário do Nordeste / Miséria
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »