Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Três mortes e 2.679 casos de dengue são confirmados em 2015 no Ceará

Hora 1_dengue (Foto: reprodução TV Globo)
Aedesaegypti é o mosquito transmissor da dengue
(Foto: reprodução TV Globo)
                                                     
 
Em 2015, já foram confirmados  2.679 casos de dengue  em 79 do 184 munícípios do Ceará, com três  mortes. Foram notificados 104 casos graves (10 mortes), dos quais 77 confirmados.  Do total de casos graves confirmados, 67 é de Dengue com Sinais de Alarme e 10 de Dengue Grave. Dos casos confirmados de dengue a faixa etária de 20 a 29 anos predomina com 19,7% do total. Os dados foram divulgados no Boletim Epidemiológico divulgado nesta quinta-feira (1º), pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa).
Em Fortaleza, foram confirmados  547 casos de dengue e 1.033 estão sendo investigados. Quatro mortes também estão sendo investigadas na capital. No interior do Estado, destacam-se os municípios de Arneiroz, Hidrolândia, Ipu, Jucás, Pires Ferreira e Porteiras com incidência acima de 300 por 100.000 habitantes. Em 100% dos casos confirmados, o vírus circulante foi o DENV-1.
De acordo com o Ministério da Saúde, o Ceará está em situação de alerta para a ocorrência de epidemia. O Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), mostra que 340 municípios brasileiros estão em situação de risco para a ocorrência de epidemias e 877 estão em alerta. Fortaleza também é uma das capitais em alerta, segundo o Ministério.
O índice utilizado no LIRAa leva em consideração a percentagem de casas visitadas com larvas do mosquito Aedes aegypti. Os municípios classificados como de risco apresentam larvas do mosquito em mais de 3,9% dos imóveis pesquisados. É considerado estado de alerta quando menos de 3,9% dos imóveis pesquisados têm larvas do mosquito; e satisfatório quando o índice está abaixo de 1% de residências com larvas do mosquito.
Casos graves
De acordo com a Secretaria, houve um aumento de 43,9% dos casos graves confirmados em comparação com o mesmo período de 2014 e uma redução de 67% no número de óbitos no igual período do ano anterior. Dos casos graves confirmados, o interior foi responsável por 56,7 de Dengue com Sinais de Alarme e 70% por Dengue Grave.
 
Controle
Para controlar a proliferação do mosquito que transmite a dengue e a febre Chikungunya, a orientação dos especialistas é manter os quintais sempre limpos, recolher, eliminar ou guardar longe da chuva todo objeto que possa acumular água, como pneus velhos, latas, recipientes plásticos, tampas de garrafas, copos descartáveis e até cascas de ovos. O lixo doméstico deve ser acondicionado em sacos plásticos e descartado adequadamente, em depósitos fechados.
Depois da chuva, é recomendado fazer a vistoria no quintal e na casa para eliminar a água acumulada sobre lajes, calhas, tanques, pratinhos de vasos de planta. Baldes, potes, quartinhas, bacias, camburões e outros recipientes que guardam a água de beber e para outros usos domésticos, assim como a caixa d'água, devem ser mantidos limpos e fechados para evitar o risco de proliferação do mosquito.
Infográfico Dengue (Foto: Arte/G1)
FONTE G1
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »