Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Chuvas não elevam nível de açudes do Ceará, segundo boletim da Cogerh


Com as chuvas, nível do açude General Sampaio subiu (Foto: Antônio Carlos/Arquivo Pessoal)Com as chuvas, nível do açude General Sampaio subiu (Foto: Antônio Carlos/Arquivo Pessoal)
 
Apesar das chuvas registradas nos últimos dois meses em todas as regiões do Ceará, ovolume de água não tem sido suficiente para aumentar, de forma considerável, a reserva hídrica do Estado. Ds 149 açudes monitorados pela Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh) em parceria com o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), apenas dois estão sangrando. Outros dois estão com volume acumulado acima de 90% e 138 reservatórios se encontram com volume abaixo de 30% da capacidade máxima de armazenamento, segundo a Cogerh.

Reservatório de General Sampaio recebeu boa recarga de água com últimas chuvas (Foto: Antônio Carlos/Arquivo Pessoal) 
Açude de General Sampaio recebeu boa recarga de
água (Foto: Antônio Carlos/Arquivo Pessoal)
 
Uma das exceções ocorreu no município de General Sampaio, na região Norte. Com a chuva de 87 milímetros registrada na última semana, o nível do açude General Sampaio subiu 1,36 metros, o que equivale a uma recarga de 20,8 milhões de metros cúbicos. Antes da chuva, que ocorreu na sexta-feira (3) , o reservatório acumulava 14,3 milhões de metros cúbicos e nesta terça-feira (7), o volume acumulado do açude alcançou 20,8 milhões de metros cúbicos. Com capacidade para  322,2 de metros cúbicos, o açude testá com apenas 33,77% da capacidade de armazenamento. em capacidade de armazenamento de 322,2 milhões de metros cúbicos
“Mesmo com esse nível, com a recarga das últimas chuvas nós temos garantido o abastecimento de água para os municípios de General Sampaio, Paramoti e Canindé e com a esperança de que o nível de armazenamento de água aumente até o fim de abril”, explica Samuel Izídio de Alencar, administrador do açude e funcionário do Dnocs.

Bacias
As 12 bacias hidrográficas do Ceará, apenas em quatro houve aumento no volume de água acumulada desde o início do ano. A Bacia do Coreaú, que passou de 15,5% em Janeiro, para 25,39%, em abril; a Metropolitana, de 21,89% para 27,33%; a do Curu, de 2,81% para  3,79%; e a do Sertão de Crateús, que passou de 0,60% para 4,62%. Com capacidade para 18,8 bilhões de metros cúbicos, as 12 bacias acumulam hoje apenas 3,7 bilhões de metros cúbicos de água, o que representa 19,82% da capacidade total de armazenamento.
Fortaleza e as cidades da Região Metropolitana são abastecidas pela Bacia Metropolitana, que atualmente acumula 27,33% da capacidade de armazenamento. Apesar do baixo índice de armazenamento da bacia, o abastecimento da região está garantido, segundo a Cogerh. A garantia vem do açude Castanhão, o maior do Ceará. Localizado no município de Nova Jaguaribara, a 260 quilômetros de Fortaleza, o reservatório tem capacidade para armazenar 7,5 bilhões de metros cúbicos de água, mas hoje acumula apenas 1,51 bilhões, que representa apenas 22,61% da sua capacidade de armazenamento. Além de Fortaleza, outros 25 municípios são abastecidos pelo Castanhão, incluindo o Complexo Portuário do Pecém e os distritos industriais. O consumo anual dessa região é de 800 milhões de metros cúbicos.
Barcos já podem navegar no açude General Sampaio (Foto: Antônio Carlos/Arquivo Pessoal)Barcos já podem navegar no açude General Sampaio (Foto: Antônio Carlos/Arquivo Pessoal)
FONTE G1

Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »