Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Copa injetou R$ 1,68 bi na economia cearense

A maior parte dos visitantes foi de turistas nacionais (194 mil), mas o número de estrangeiros (169 mil) subiu 646% ante o ano passado. (Foto: Fabiane de Paula)
Os milhares de turistas nacionais e estrangeiros que passaram pelo Ceará durante o período da Copa do Mundo deixaram sua contribuição para a economia local. Durante os 32 dias de evento esportivo, a receita injetada na economia cearense foi de R$ 1,68 bilhão. O montante é 173% superior ao registrado em junho do ano passado, que foi de R$ 614 milhões. O resultado faz parte do estudo divulgado, ontem, pela Secretaria do Turismo do Estado (Setur-CE).

Os dados mostram que o número de turistas, no Ceará, chegou a 363 mil, 81% a mais que o verificado em junho de 2013. Embora a maior parte dos visitantes ter sido composta por turistas nacionais (194 mil), o número de estrangeiros (169 mil) supera em 646% o registrado em junho do ano anterior.

Neste período, o gasto dos turistas também foi positivo. De acordo com o levantamento, a renda direta gerada durante o evento esportivo foi de R$ 961,6 milhões. Enquanto o gasto per capita dos estrangeiros, no Estado, foi de R$ 3,2 mil, aproximadamente 50% a mais que o valor gasto pelos visitantes nacionais (R$ 2,1 mil). Já permanência média desses turistas foi de seis dias. "O ano de 2014 e daqui pra frente é de internacionalização do Ceará. A Copa do Mundo e a reunião da Cúpula do Brics vieram para consolidar esse trabalho ou pelo menos dar uma grande força a esse fator de competitividade que o Estado tem para entrar no mercado internacional", afirmou o secretário de Turismo do Ceará, Bismarck Maia.

"Pesquisa inaceitável"

O titular da Setur-CE também confrontou os dados da pesquisa do Ministério do Turismo (MTur), que apontou que o Estado recebeu apenas 86 mil estrangeiros no Mundial e o foi sétimo mais visitado do País.

"Vi a pesquisa e não concordo. Já entrei em contato com o Ministério do Turismo e acho que os números devem ser revistos. Essa pesquisa é inaceitável e deve ser retirada do site do MTur", reforçou Bismarck Maia.

Mercados emissores

Conforme a pesquisa da Setur-CE, os mexicanos foram maioria entre os visitantes internacionais, representando 25% do total. Em seguida, aparecem os campeões do Mundial (alemães), que corresponderam por 17%. Os outros mercados emissores na Copa foram: EUA (8,8%), Holanda (7,3%), Itália (4,2%), Portugal (3,6%), França (3,5%) e Suíça (3,1%).

Já os principais emissores de turistas nacionais foram da Região Sudeste, com 83 mil viajantes, representando 42% do total. Em Seguida aparecem as regiões Nordeste (69 mil), Centro Oeste (23 mil), Norte (12 mil) e Sul (6,2 mil). Dentre os estados, o maior grupo de viajantes foi de São Paulo (24,5%). O segundo estado que mais emitiu representantes foi o Rio de Janeiro (12,3%), seguido pelo Rio Grande do Norte (8,1%), Bahia (7,6%), goiás (7,25%), Pernambuco (7,1%), Minas Gerais (4,92%) e Maranhão (4,3%).

De acordo com o levantamento, a maior parte deles (72,48%) teve a Copa como principal motivo da viagem, e 88,91% dos estrangeiros e 59,8% dos brasileiros visitaram o Estado pela primeira vez.

Desempenho hoteleiro

Enquanto isso, a média de ocupação do setor hoteleiro em todas as partidas atingiu 78,6%, 14,1% a mais que o verificado em junho do ano passado (68,9%). A maior taxa de ocupação foi verificada durante o segundo jogo na Capital cearense, entre Brasil e México. Neste período, o índice foi de 93,6%. Na partida da Seleção Brasileira contra a Colômbia, o setor também registrou sua maior alta, de 91,7%. "O resultado durante a Copa do Mundo foi muito bom, excelente. Contudo, tivemos o Brics e acho que faltou a ´cereja do bolo´ para aproveitarmos o evento para consolidar o turismo internacional", ressaltou Darlan Leite, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (ABIH-CE).

Vendas no comércio acima do esperado

Apesar de toda a expectativa negativa em torno da Copa por conta dos feriados, o comércio de Fortaleza conseguiu incrementar as vendas com a realização do Mundial. Entre 12 de junho e 6 de julho, as vendas cresceram cerca de 2,78% em relação a igual período do ano passado, informou Freitas Cordeiro, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

"A Copa foi surpreendentemente e podemos dizer que foi boa para o comércio. Ela conseguiu nos surpreender positivamente, pois estávamos preocupados em como os feriados iriam impactar nas vendas", disse.

Embora o incremento não seja alto, Freitas Cordeiro afirma que o número ficou dentro da expectativa do setor. "Tínhamos uma ideia de que seria negativo e o comércio iria sair no prejuízo, mas ainda conseguimos um aumento", destaca.

De acordo com Freitas Cordeiro, a preocupação era maior por conta do impacto negativo que as paralisações causaram durante a Copa das Confederações no ano passado. "Encontramos um solução para os feriados e o resultado foi melhor que o registrado no ano anterior. Para se ter uma ideia, se compararmos apenas com o período da realização da Copa das Confederações, tivemos um crescimento de 16,24%", acrescenta. (RH)

Mais de mil vagas foram criadas no período

O período da Copa do mundo também foi positivo para a criação de oportunidades de empregos. De acordo com a pesquisa da Secretaria do Turismo do Estado (Setur-CE), 1.046 postos de trabalho foram gerados durante o Mundial de futebol, 81,60% a mais que o verificado em junho de 2013 (576).

Do total de vagas criadas, 21,4% foram para garçons, seguido por auxiliares de cozinha (18,9%). Em junho do ano passado, a abertura de vagas para esses postos de trabalho foram de 13,7% e 36,1%, respectivamente. Conforme a pesquisa do órgão, na sequência de oportunidades geradas aparecem atendentes, com 10,4% do total, e cozinheiros, com 9,2%.

Enquanto isso, as oportunidades para camareiras foram responsáveis por cerca de 8,3% da taxa registrada no mês de junho. O restante, cerca de 31,64% vagas foram distribuídas entre outros setores do Estado.

Além disso, o governo do Estado também aproveitou a ocasião para reforçar as equipes do Centros de Atendimento ao Turista (CAT ´s). No período de 10 de junho a 10 de julho, pelo menos 18 profissionais foram chamados. Neste período, os atendimentos nos locais foi de aproximadamente 45 mil.

No País

De acordo com o levantamento realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a Copa do Mundo gerou cerca de um milhão de empregos no País. A pesquisa da entidade tem como base de referência o período de janeiro de 2011 a março de 2014.

Fonte: Diário do Nordeste / Miséria
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »