Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Coelce e Aneel terão que dar explicações em Brasília sobre reajuste no Ceará

Coelce e Aneel terão que dar explicações na Câmara dos Deputados, em Brasília, em audiência pública nesta quarta-feira, às  9h, na Comissão de Defesa do Consumidor, sobre o reajuste de mais de 16% da energia elétrica no Ceará. A audiência acontece atendendo a requerimento do deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE), aprovado por unanimidade pelos deputados que integram a Comissão, diante da preocupação com o impacto do reajuste para os consumidores residenciais e para o setor produtivo no Estado, com consequências sobre a economia e com risco de fechamento de postos de trabalho. A audiência também contará com a presença de representantes da Federação das Indústrias do Estado do Ceará – FIEC, como o consultor especialista em energia Jurandir Picanço.
“A Coelce e a Aneel terão de vir a público, na audiência desta quarta-feira, para esclarecer o porquê de um reajuste tão alto, em contraste com a inflação medida pelo IGP-M nos últimos 12 meses, que não chega a 6%. Ou seja, com um reajuste de 16,5% nas contas de energia, temos um percentual equivalente a quase três vezes a inflação do último ano. Um percentual totalmente fora da realidade dos consumidores cearenses”, aponta Chico Lopes.
“Chama atenção especialmente o fato de a Coelce ter pleiteado à Aneel cerca de 14% de reajuste, o que já era um percentual alto demais, absurdo para uma economia estável, tendo em vista que o percentual de referência para o reajuste médio nas tarifas de energia em todo o País, em 2014, é de 9,5%. Mas a Agência, mais uma vez empenhada em defender as empresas, para prejuízo do consumidor, ainda foi além da pedida da Coelce e concedeu mais de 16% de reajuste”, destaca o deputado Chico Lopes.
O deputado Chico Lopes destaca ainda que, segundo dados da própria Aneel, a energia adquirida pela Coelce, definida como “bilateral” na tabela de custos e produzida por térmicas de propriedade da própria Coelce, teve um reajuste de 13%. “A Coelce ganha duas vezes, comprando energia dela mesma para revender aos consumidores por um preço exageradamente alto”.

Fonte: Ceará Agora
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »