Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Cidades onde houve primeiras chuvas já têm safra superior a 2013, em 80%

No Cariri, cerca de 25 mil agricultores foram beneficiados com a distribuição de quase 1,4 milhão de toneladas de sementes de feijão caupi, milho híbrido, milho variedade, arroz, sorgo forrageiro e mamona. (Foto: Beto Fernandes)
As chuvas caídas durante os meses de fevereiro e março trouxeram muito mais do que a renovação da esperança junto aos produtores rurais deste e de outros municípios que compõem a região do Cariri. Com a continuidade das precipitações no período, a produtividade agrícola conseguiu se manter e, para este ano, a colheita deve superar em até 80% os resultados obtidos pelos produtores rurais no mesmo período do ano passado.

Em vários municípios do Cariri, os produtores já deram início à colheita do feijão. Em algumas localidades é possível, ainda, perceber que algumas espigas de milho verde também estão sendo colhidas. Os agricultores esperam, até o final do mês de setembro, ter obtido um resultado satisfatório em relação à produção dos aos gêneros plantados na safra deste ano. Na maioria das cidades, o plantio ainda é de sequeiro e, portanto, a produção de arroz, feijão e milho ainda é predominante.

Em algumas localidades da região, no entanto, já é possível perceber o plantio de novos gêneros, como o amendoim e o abacaxi, por exemplo. A aposta de quem se aventura no plantio destes novos produtos se dá a partir da assistência técnica recebida, através da colaboração de técnicos agrícolas ligados à Empresa de Assistência Técnica de Extensão Rural do Ceará (Ematerce) e pela lucratividade que pode ser obtida com os novos plantios. Uma safra de abacaxi, por exemplo, pode gerar até 60% de lucro ao produtor rural, segundo cálculos apresentados por técnicos da Ematerce.

Aposta

No sítio Jenipapeiro, na zona rural de Crato, produtores que residem no condomínio rural da comunidade decidiram apostar no plantio do milho e feijão e, também, na produção de novas culturas neste ano. O agricultor Francisco Laurentino, que trabalha na lavoura desde muito pequeno, quando acompanhava o pai no trabalho diário da lavoura, já está colhendo os resultados da plantação iniciada no começo das primeiras chuvas.

O feijão, embora plantado em curto espaço de terra, já lhe rende o suficiente para a alimentação da família até o final do ano e, ainda, para a comercialização de dois ou três sacos de 60 quilos. O agricultor também espera obter bons resultados durante a colheita do milho também plantado para a safra deste ano.

Produção do feijão verde fica exposta nas calçadas de casas das cidades do Cariri. (Foto: Beto Fernades)

"Eu plantei pouco feijão neste ano porque investi bastante no plantio de abacaxi. Também tenho milho plantado e, se for como o feijão que rendeu muito, a produção também deve ser muito boa", avaliou o produtor. Francisco Laurentino afirma que toda a boa expectativa em torno da colheita deste ano se dá por causa das chuvas relativas aos primeiros meses do ano. "A chuva foi boa por demais. Não faltou água pra produção e, diferentemente do que aconteceu em 2013, quando a maioria do plantio foi perdida por causa da seca, a colheita vai ser rica", observou.

O produtor rural que espera iniciar a colheita do milho a partir do mês de julho informou, ainda, que na safra deste ano também não houve incidência de pragas na lavoura. "Acho que por causa da boa quantidade de chuvas a lagarta não conseguiu segurar a folha do feijão. Quase não houve praga na lavoura", comemorou.

A colheita da produção de Cícero Gonçalves de Souza, que mora na localidade de Poço da Mata, também na zona rural do município de Crato, também já está sendo realizada. O feijão do tipo caupi deve render ao agricultor algum lucro, além do milho plantado cujo as bonecas já começaram a florar. "O feijão a gente planta mais para o consumo próprio. Mas, sempre que sobra um pouquinho a mais a gente vende alguns sacos. O milho é que dá um rendimento maior e, se Deus quiser, nesse ano vai ser melhor afirma.

Comemoração

Cícero Gonçalves também comemorou o volume de chuvas caídas na região neste ano. "Sem chuvas não há plantio. No ano passado todo mundo aqui sofreu por demais. Era uma tristeza só. Hoje não. Todo mundo que mora na comunidade já está colhendo o seu feijãozinho e esperando o milho amadurecer. Tem gente que já tá colhendo algumas espigas pra fazer o milho verde cozinhado. Eu mesmo tenho umas espigas dentro de casa. A fartura esse ano vai ser boa", comemora o agricultor.

O assessor regional da Ematerce em Crato, Ernani Rocha, explicou que há boas expectativas em relação à colheita da safra de feijão e milho neste ano nas cidades atendidas pelo escritório regional da empresa, num total de 13 municípios. Além da produção de sequeiro, também são esperados bons resultados em relação à produção de sorgo forrageiro, amendoim, abacaxi, mandioca e mamona.

"O feijão e o milho são as culturas de maior predomínio na região. Porém, muitos agricultores decidiram inovar em seus plantios produzindo, já a partir deste ano, novas culturas, como o abacaxi, por exemplo", diz ele.

Ernani Rocha informou que nas regiões onde o acúmulo das chuvas foi maior, as possibilidades de ampliação da produtividade também são aguardadas. "Nas localidades onde não houve o chamado veranico, as possibilidades de colheita são amplamente maiores. Nós temos boas expectativas de colheita na maioria dos municípios atendidos pelo escritório regional da Ematerce", ressalta o assessor.

Ele revelou, ainda, que nos municípios de Juazeiro do Norte, Barbalha, Missão Velha, Abaiara, Farias Brito, Caririaçu, Missão Velha, Jardim, Santana do Cariri, Nova Olinda, Altaneira, Várzea Alegre e Granjeiro, as safras de feijão e milho, principalmente, também deverão superar as expectativas.

Sementes

"Nestas localidades também houve bom acúmulo de chuvas, o que facilita a germinação da planta", explicou Ernani Rocha, ressaltando, também, a qualidade das sementes distribuídas no começo do ano pelo Governo do Estado, por meio do Programa Hora de Plantar.

No Cariri, cerca de 25 mil agricultores foram beneficiados com a distribuição de quase 1,4 milhão de toneladas de sementes de feijão caupi, milho híbrido, milho variedade, arroz, sorgo forrageiro e mamona.

A distribuição das sementes na região correspondeu a um quarto do programa em todo o Estado. "Mesmo com as chuvas que caíram por sobre estes municípios, não havendo qualidade nas sementes distribuídas pelo programa não haveria germinação e, consequentemente, a colheita estaria completamente prejudicada", finalizou o assessor da Ematerce.

Mais informações:

Escritório Regional da Ematerce
Praça Filemon Teles, s/nº
Pimenta-Crato
Telefone(88) 3102-1293

Fonte: Diário do Nordeste / Miséria
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »