Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Passeio aborda história de Quilombolas do CE

Image-0-Artigo-1822168-1
Sete barcos participaram do passeio no Rio Ceará, com estudantes de Caucaia e representantes dos Quilombolas do município
FOTO: KLÉBER A. GONÇALVES 
 
O Dia Estadual de Libertação dos Escravos no Ceará, celebrado ontem, contou com uma atividade ambiental e histórica por meio de um passeio no Rio Ceará, como parte da programação do Projeto Sesc Conversas Flutuantes, desenvolvido pela Colônia Ecológica Sesc Iparana. A ação recebeu a Caravana Quilombola de Caucaia, que palestrou sobre a história dos Quilombos do Estado em prol do resgate histórico dessas comunidades.
A caravana reuniu professores, artesãos e brincantes do Coco dos Caetanos de Capuan, formado por mulheres das famílias Quilombolas mais tradicionais do Ceará. Sete barcos participaram da ação, com cerca de 170 pessoas, entre elas, 50 estudantes de escolas municipais de Caucaia e 90 representantes dos Quilombolas do município.
As embarcações continham palestrantes das comunidades Capuan, Serra do Juá, Serra da Rajada e Porteiras, além de representantes do Marco Zero, que discorreram sobre Cultura Quilombola Africana e Brasileira no Combate ao Racismo; Dragão do Mar; Meio Ambiente e Comunidades Quilombolas; o Negro na Sociedade Atual e o Quilombo de Porteiras; Centenário do Quilombo dos Caetanos de Capuan; os Negros na Barra do Ceará e assim como as Histórias da Barra do Rio Ceará.
Antepassados
Para a representante da comunidade de Capuan, Cristina Souza, a data remete ao que viveram os antepassados dos Quilombolas e serve de resgate histórico e cultural dentro das comunidades. "Com muita garra e luta estamos retratando o que nossos ancestrais passaram. Comemoramos esse dia como uma libertação e temos conquistado nossos direitos", afirma ela, destacando que, das nove comunidades Quilombolas de Caucaia, cinco já foram reconhecidas pela Fundação Cultural Palmares.
O secretário de Meio Ambiente do Ceará, Artur Bruno, presente no evento, ressaltou que o Estado possui uma cultura africana forte e deve ser valorizada. Ele destacou a existência das Áreas de Preservação Ambiental (APA) da região e anunciou parceria com o Sesc e o Instituto do Meio Ambiente de Caucaia.
Renato Bezerra
Repórter
FONTE Diário do Nordeste
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »