Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Professores fazem marcha pela URCA em Juazeiro do Norte

Os professores fizeram uma caminhada pelo centro de Juazeiro do Norte. (Foto: Araújo Fotógrafo)
Cerca de 150 professores, funcionários e alunos da Universidade Regional do Cariri (URCA), em greve desde o dia 15 de setembro, fizeram uma caminhada pelo centro de Juazeiro do Norte em protesto a falta de resposta do Governo do Estado às reivindicações da categoria.

O movimento, denominado “Marcha pela URCA”, saiu por voltas das 15 horas do Centro das Artes, Campus do Pirajá, na Avenida Castelo Branco, até a Praça Padre Cícero. Durante a marcha, os grevistas pediram que o governador Cid Gomes cumpra com a palavra assumida nas assembléias que esteve presente, ainda, em 2013.

Durante o trajeto pela Rua São Pedro, principal avenida do centro da cidade, os manifestantes exibiram faixas e cartazes. Em parada em frente a praça da prefeitura, estudantes que acompanhavam o manifesto quebraram placas e cavaletes de candidatos que estavam no caminho.

Estudantes que acompanhavam o manifesto quebraram placas e cavaletes de candidatos que estavam no caminho. (Foto: Araújo Fotógrafo)

Além de quebrar as placas, os estudantes picharam as fotos dos candidatos com as reivindicações da categoria. O protesto foi encerrado, por voltas 17 horas, na Praça Padre Cícero com palavras de ordem.

Sobre as negociações, no dia 27 último, o comando de greve unificado das Universidades Estaduais (URCA, UVA e UECE) esteve reunido com o governador Cid Gomes, na Arena Castelão. Segundo avaliações dos professores, as negociações avançaram, mas, “ainda, não chegou ao seu desenlace”.

Além de quebrar as placas, os estudantes picharam as fotos dos candidatos com as reivindicações da categoria. (Foto: Araújo Fotógrafo)

Os professores reivindicam, além da imediata efetivação dos professores aprovados no concurso, a realização de concurso para a contratação de mais 300 professores efetivos para as três Universidades. A greve, que já dura 16 dias, não tem data para terminar.

Fonte: Miséria
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »