Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Treze cidades do Ceará atingem 100% da meta escolar

Nos meses de abril e maio, 96,1% dos alunos cumpriram condicionalidade de frequência mínima escolar em todo o Estado (Foto: O Povo)
Nos meses de abril e maio, 54.282 alunos de escolas públicas do Ceará, cadastrados no programa Bolsa Família, do Governo Federal, atingiram frequência de 100% nas aulas. Do total dos estudantes no Estado, 96,1% alcançaram a meta mínima, o que resulta num total de 1.068.118 estudantes. Em todo o País, a meta foi cumprida por 96,4% dos alunos, ou seja, mais de 14 milhões de estudantes atingiram o perfil mínimo.

Os dados fazem parte do Sistema Presença, ferramenta do Ministério da Educação para o registro da presença às aulas dos beneficiários do programa.  No Ceará, um total de treze cidades conseguiu alcançar os 100% de frequência entre seus alunos nesse período. Elas são: Penaforte, Aiuaba, Baixio, Bela Cruz, Cariús, Farias Brito, Independência, Penaforte, Potiretama, Quixeramobim, Santana do Acaraú, Tauá e Umirim.

A condicionalidade da educação requer que os alunos beneficiários de 6 a 15 anos frequentem pelo menos 85% das aulas. Já os jovens beneficiários, entre 16 e 17 anos, devem ter frequência de, no mínimo, 75%.

Nas regiões Norte e Nordeste, 98,3% e 97,8% dos estudantes acompanhados, respectivamente, cumpriram a frequência. Em seguida, vêm o Centro-Oeste (96,2%), o Sul (94,2%) e o Sudeste (93,5%). Os estudantes indígenas, quilombolas e da área rural apresentaram resultados acima da média nacional: 97,7%, 98,1% e 97,7%, respectivamente.

Nos casos de jovens com baixa frequência escolar, a equipe de assistência social do município é orientada a avaliar os motivos indicados pela área de educação. Em algumas situações, o acompanhamento dessas famílias é realizado pela rede de serviço socioassistencial.

Acompanhamento
O acompanhamento da frequência escolar é feito a cada dois meses pelo MEC, com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e em parceria com as áreas de educação dos municípios, dos estados e do Distrito Federal.

Para que o acompanhamento ocorra, os dados sobre a escola das crianças e dos adolescentes devem estar informados corretamente no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e no Sistema Presença. Por isso, caso o estudante tenha mudado de escola, a família deve atualizar a informação junto à coordenação municipal do Bolsa Família.

Fonte: O Povo / Miséria
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »