Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Ceará lidera tentativas de fraude online no Nordeste

Segundo estudo, a cada R$ 100 em compras no meio virtual, R$ 6 representam alguma ação indevida (Foto: Ilustrativa)
Não é novidade que hábito de comprar pela internet tem aumentado cada vez mais entre os consumidores em todo o País. Contudo, a medida que o e-commerce cresce, as tentativas de fraudes também tem se espalhando no meio virtual. Pesquisa realizada pela ClearSale, empresa especializada em detectar esse tipo de crime na internet, aponta o Ceará apresentou a maior incidência em tentativas de fraude no comércio eletrônico em todo o Nordeste em 2013.
Segundo a análise, 6,56% de todo o volume transacionado no comércio digital, no Ceará, corresponderam a tentativas de fraudes. “Isso significa que a cada R$ 100 em compras, R$ 6,56 representou uma ação fraudulenta de criminosos”, explica Gabriel Firer, coordenador de projetos corporativos da ClearSale.
Ranking
No ranking da pesquisa, a incidência de burla as compras online no Ceará supera a de outras unidades federativas do País, que também têm alto índice: Bahia (6,14%), Maranhão (5,43%), Paraíba (4,28%) e Rio Grande do Nordeste (4,16%). Em contrapartida, o Sergipe, teve o menor número da Região, com 3,38%. Para Firer, este é um número considerado alto para o Ceará, quando comparado com a média nacional. “Não sabemos com exatidão o por quê disso, mas temos algumas teorias. Uma delas, é o maior acesso ao cartão de crédito e, muitas vezes, os consumidores não sabem dos riscos aos quais estão expostos”, analisa.
Cartão de crédito
O cartão de crédito, a modalidade de pagamento mais utilizada no comércio eletrônico, foi foco da análise feita pela empresa. “Existem três tipos de estornos com cartões de crédito no e-commerce: a fraude, quando o verdadeiro dono do cartão não fez a compra; a auto-fraude, quando o verdadeiro dono faz a compra e dissimula que não a fez; e a fraude amigável, quando pessoas próximas do verdadeiro dono fizeram a compra”, conta.
Identificação
Especializada na prevenção de fraudes e autenticação de vendas, a empresa analisou no último ano 46 milhões de transações e evitou 374 mil transações indevidas. O número corresponde a R$ 353 milhões em compras fraudulentas impedidas.</MC> Firer explica ainda como funciona o processo para detectar a tentativa de fraude.
“Sempre que uma compra é realizada e o consumidor coloca os dados da forma de pagamento, antes das informações irem para a administradora do cartão, elas passam pela ClearSale, onde é analisado se aquela compra está sendo realizada pelo verdadeiro dono do cartão”, explica o coordenador.

Fonte: Diário do Nordeste / Miséria
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »