Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Produção de veículos bate recorde em 2013, diz Anfavea

A produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no Brasil bateu recorde histórico em 2013, mesmo ainda faltando um mês para o ano terminar. De janeiro a novembro foram fabricados 3,5 milhões de veículos, superando a marca de 2011, de 3,4 milhões. Os dados foram anunciados pela Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) nesta quinta-feira (5).

Em relação aos 11 primeiros meses de 2012, houve alta de 11,8%. A produção fechou o ano passado em queda, na comparação com 2011, com 3,3 milhões de carros, caminhões e ônibus.

As exportações somaram US$ 15,4 bilhões de janeiro a novembro, o maior valor para a indústria automobilística brasileira nesse período. Saíram do país 522.997 veículos.

Números de novembro
Em novembro, a produção registrou queda de 10,7% na comparação com outubro. Ao todo, 289.633 veículos saíram das fábricas, contra 324.374 no mês anterior.

Em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram produzidos 314.734 veículos, o recuo foi um pouco menor, de 8%. Em outubro, frente a setembro, as montadoras também haviam reduzido o ritmo de produção, em 2,5%.

Segundo Moan, pesaram sobre novembro o menor número de dias úteis em relação a outubro, a dificuldade de crédito e a indefinição do Programa de Crédito Subsidiado (PSI) – “não houve anúncio sobre taxas de juros a partir de janeiro de 2014”, disse ele.
Por segmento
Entre os três segmentos, a retração mais acentuada de outubro para novembro partiu de caminhões, cuja produção passou de 18.606 para 14.451 unidades (-22,3%). Na comparação com um ano atrás, o resultado é oposto – foi registrado um avanço de 19,4%.

A produção de carros também diminuiu, mas em velocidade menor, de 302.284 em outubro para 271.867 no mês seguinte (-10,1%). Frente ao ano anterior, a baixa foi de 8,9%.

A mesma tendência de queda foi verificada na produção de ônibus. Enquanto em outubro 3.484 unidades saíram das linhas de produção das fábricas, em novembro, o número caiu para 3.315 (-4,9%). Diante de novembro de 2012, o freio foi ainda maior, de 21,1%.

IPI em janeiro
A expectativa do mercado é que as vendas de carros em dezembro sejam aquecidas porque o mês deverá ser o último com o desconto no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A alíquota do imposto, baixada em maio de 2012 para enxugar estoques das montadoras, deve voltar ao normal no início do ano que vem. Moan confirma que o imposto ficará maior em relação ao que é hoje, mas diz que “ainda não definiram quanto".

De 24 de maio de 2012 a 30 de novembro deste ano, com a redução do IPI, foram vendidos 5,650 milhões de carros. Sem o imposto reduzido, teriam sido comercializados 4,3 milhões, diz a Anfavea.

Ainda sobre vendas, a associação de montadoras acredita que o 2013 deverá terminar com um "empate técnico" em relação a 2012. "Continuo acreditando que, independentemente de dezembro ou do que falam alguns analistas, vamos ter um empate técnico, num volume extremante favorável, que nos manterá como o quarto maior mercado do mundo", diz Moan.

Fonte: G1 / Miséria

Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »