Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Greve nos Correios no Ceará já afeta serviços de entrega rápida

Sindicato destacou que a área operacional é a mais afetada (Foto: Diário do Nordeste)
A greve dos funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) na Regional do Ceará, deflagrada na última quarta-feira (18), já afeta os serviços de postagem, entrega e coleta de encomendas com hora marcada.

A empresa, no entanto, informou que a rede de atendimento está aberta em todo o Estado e os outros serviços também estão disponíveis, incluindo o sistema do pagamento de contas nas agências.

Os Correios informaram ainda que, no Ceará, aproximadamente 85% dos trabalhadorespermaneceram em seus postos de trabalho, representando cerca de 2.500 empregados em atividade. A empresa explicou que o balanço foi feito por meio do sistema eletrônico de presença.

"Para garantir a entrega de cartas e encomendas e o atendimento em toda rede de agências, a ECT continua aplicando medidas do seu Plano de Continuidade de Negócios. Entre as ações, estão realização de horas extras, mutirões para entrega nos fins de semana e deslocamento de empregados entre as unidades", informou em nota.

Sindicato rebate

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos (Sintect-CE), Lourdinha Félix, porém, negou que esteja havendo pouca adesão à greve no Ceará. "Os outros serviços estão sendo afetados sim. Essa é a versão da empresa.  A área operacional é a mais atingida. Aqui, pelo menos 60% entre carteiros e motoristas estão paralisados", rebateu.

Lourdinha Félix afirmou que os próximos passos durante a paralisação da categoria são realizarmobilizações pontuais nas agências dos Correios com a intenção de chamar atenção para as reivindicações. "Vamos focar principalmente nas agências do Interior", ressaltou.

Clientes ainda não sentem prejuízos

O aposentado Luiz Pinheiro acredita que ainda é cedo para avaliar o quanto a greve tem afetado a população. "Ainda não sei. Encaminhei uma encomenda hoje. Vamos ver se ela chega. Saberei em breve se fui afetado", esclareceu.

A advogada Ana Paula Cruz também procurou o serviços dos Correios nesta quinta-feira e diz não ter sentido muito a paralisação da categoria. "Até porque podemos resolver muita coisa de forma online", acrescentou.

Fonte: Diário do Nordeste / Miséria
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »