Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

País perde R$ 415 bi em arrecadação

Sonegar imposto é crime e custa caro ao Brasil: R$ 415 bilhões. O valor se refere ao que o País deixa de arrecadar por ano com a evasão fiscal. O número faz parte de um estudo do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz), que lançou ontem o "Sonegômetro", um placar online que vai apresentar, em tempo real, o quanto o País deixa de arrecadar em impostos todos os dias por causa de sonegação.

A população pode acompanhar a contagem da sonegação fiscal no endereço www.sonegometro.com. A contagem da sonegação começa no dia 1º de janeiro e, até o início da noite de ontem, já ultrapassava os R$ 177 bilhões.

Segundo o presidente do Sinprofaz, Alan Titonelli Nunes, a campanha visa reforçar a necessidade de uma reforma tributária e o combate à sonegação.

Para Nunes, a alta carga tributária do Brasil (36% do Produto Interno Bruto - PIB) e a percepção de que os serviços prestados pelo governo com o dinheiro arrecadado são insuficientes fazem com que a tributação seja vista pela população como algo nocivo; e a sonegação, como parte do jogo.

"Isso é um equívoco", diz. "Como o sistema tributário brasileiro incide mais sobre o consumo e não sobre a renda e o patrimônio, a sonegação acaba prejudicando muito mais quem tem uma renda menor", completa.

Ricos sonegam mais

Segundo o presidente do Sinprofaz, atualmente, quem os trabalhadores que ganham até dois salários mínimos pagam 50% dos seus rendimentos em tributos, enquanto quem ganha acima de 30 salários mínimos paga cerca de 26%.

"Não são os mais pobres que conseguem sonegar, mas os mais ricos", enfatiza Alan Titoneli Nunes.

Carga tributária

O Sinprofaz destaca ainda que a arrecadação brasileira poderia ser 23% maior se fosse eliminada a evasão fiscal.

"Isso significa que, se não houvesse sonegação de impostos, o peso da carga tributária poderia ser reduzido em até 20% e ainda sim se manter o mesmo nível de arrecadação", destaca Allan Titonelli Nunes.

Fonte: Diário do Nordeste / Miséria

Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »