Conheça a nossa Rádio | Conheça a nossa cidade

Ceará recebe mais de 4 mil caixas de Tamiflu para tratamento da gripe H1N1

Para retirar o antiviral, basta apresentar prescrição médica
O Ceará recebeu mais de 4 mil caixas de Fosfato de Oseltamivir, medicamento conhecido comercialmente como Tamiflu, uma das principais recomendações do Protocolo de Tratamento de Influenza 2013.
Foram enviadas 3 mil caixas na fórmula para adultos (75 mg), 500 de 30 mg e 500 de 45 mg para uso pediátrico. Além disso, o estado possui em estoque de 5.388 tratamentos para adultos, 1.300 de 30 mg e 1.000 45 mg (fórmula infantil).
Para atingir a eficácia, o antiviral deve ser tomado nas primeiras 48 horas após o início da doença. Mesmo ultrapassado o período, o Ministério da Saúde indica a prescrição do antiviral.
Secretarias estaduais
Neste ano, foram enviados às secretarias estaduais 1.074.180 tratamentos do medicamento na fórmula adulto (75mg) e 162.900 caixas de uso pediátrico. Os estados, no entanto, já possuíam estoque do medicamento. Cada caixa contém 10 comprimidos, suficientes para um tratamento completo.
O ministro da Saúde, Alexandra Padilha, recomenda aos estados e municípios que facilite o acesso ao medicamento. Para isso, sugeriu que o antiviral seja disponibilizado em todas as unidades de saúde, nas UPAs, nos prontos socorros, por exemplo.
Para retirar o antiviral, basta apresentar a prescrição médica emitida tanto por médicos da rede pública como da rede privada.
Recomendações
O Tamiflu é oferecido gratuitamente na rede pública e reduz complicações e óbitos pela doença. O medicamento é recomendado a pessoas integrantes dos grupos que tenham condição ou fator de risco e que apresentam sintomas de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).
Crianças menores de dois anos, gestantes, puérperas, indígenas, idosos, obesos e doentes crônicos devem tomar o medicamento mesmo que não ocorra o agravamento da doença. “O tratamento deve ser iniciado de imediato. Não se deve esperar a confirmação laboratorial ou o agravamento do caso”, explica Padilha.
Próxima página
« Página anterior
Próxima página
Próxima página »